Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

Empatia faz a diferença na gestão de pessoas

Publicado por:
04 set

03.13

Nos dias atuais, a empatia tem tido grande destaque dentre as habilidades necessárias para os líderes estratégicos. E é, talvez, uma das características mais importantes para exercer bem o papel de liderança. Porém, o que se vê nas organizações, cada vez mais, é a incapacidade de se colocar no lugar do outro.

De modo geral, empatia é a capacidade de respeitar e entender os sentimentos e a percepção da outra pessoa. Significa “calçar-se com os calçados do outro”, para entender as suas restrições, adversidades e desafios. No meio empresarial, os profissionais precisam, nas várias situações do dia a dia, buscar se colocar no lugar do colega como uma forma de entender o que está se passando e poder identificar a melhor maneira de agir naquela situação.

Quando se trata do gestor, ao gerenciar pessoas, além de sua competência técnica e experiência, é preciso ter a empatia como uma característica importante no exercício da liderança. O líder tem que entender o ponto de vista do outro e saber lidar com a diversidade na sua equipe, compreendendo e aceitando que cada pessoa tem sua maneira de enxergar as coisas e lidar com determinadas questões, de acordo com a sua própria vivência.

Esse é um ponto fundamental quando se trata de manter a equipe motivada e solucionar problemas que surgem no dia a dia. Considerar cada um dos integrantes do grupo, estar próximo deles e entender o que os motiva, quais são seus desejos, crenças e valores, faz com que todos trabalhem em sintonia.
É certo que, quando existe a empatia, a solução de problemas pode se tornar menos complicada. No entanto, vale reforçar que tudo isso precisa ser levado em conta sem perder o foco nos objetivos estratégicos da organização, nem confundir empatia com tolerância, passividade e omissão.

Comentários

Deixe o seu comentário