Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

O gestor e o autocontrole

Publicado por:
01 mai

7.5trainees

É um fato que diante da correria do dia a dia, da pressão do trabalho, das decisões a serem tomadas e das metas a serem cumpridas, muitas vezes é difícil manter o controle das próprias emoções. Porém, para um gestor, cujo cotidiano exige construir relacionamentos, ser exemplo, agir de forma estratégica e tomar decisões, “perder a cabeça” pode ser fatal.

Ao contrário disso, no mundo corporativo atual, manter o controle diante de situações difíceis e conseguir administrar os próprios impulsos são diferenciais competitivos.

Um líder que controla as próprias emoções, que ouve os integrantes da sua equipe, que mobiliza as pessoas para os resultados e considera suas opiniões e sentimentos, consegue estabelecer uma relação de confiança com o grupo e constrói um ambiente de trabalho mais produtivo, com pessoas mais engajadas e motivadas.

Mas quando o modelo de gestão é o de comando-obediência e o respeito se dá pelo medo, a equipe reage. As falhas, os esquecimentos e os mal-entendidos aumentam, e o dia a dia dos gestores fica bem complicado.

Frente a essa realidade, o exercício da paciência não é uma opção para a gestão de pessoas. Passa a ser compulsório. Aprender a lidar com limites e frustrações e saber que nem tudo acontecerá como esperado pode ser um bom começo no desafio do autocontrole.

Comentários

Deixe o seu comentário