Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

Não tenho interesse em participar da empresa da minha família, mas gostaria de acompanhar a evolução dos negócios.

Publicado por:
07 nov

imagem12

Minha família tem uma empresa, mas tenho outros interesses profissionais e não desejo atuar na gestão dos negócios. Como faço para não perder de vista o patrimônio construído pelos meus pais?

Nem sempre os herdeiros seguem o rumo desejado pelos fundadores das empresas familiares, que é ter como projeto profissional trabalhar nos empreendimentos da família. Seja por não se identificar com a área ou por preferirem seguir outros caminhos, é comum que alguns herdeiros façam a escolha de não atuarem diretamente na empresa da família, e essa decisão deve ser respeitada. Porém, isso não significa deixar de lado o seu patrimônio.

É preciso lembrar que ser herdeiro não significa ser um executivo nem ter uma rotina de trabalho diária nos negócios da família. Entretanto, mesmo não participando da gestão empresarial, o patrimônio não deixa de ser dele por direito, e todos os resultados da empresa, sejam bons ou ruins, poderão impactar diretamente no futuro dele.

Por isso, é importante desenvolver meios de acompanhar o desempenho empresarial e as decisões de maior impacto, conhecer a estrutura e funcionamento da empresa e saber como está o mercado em que está inserida. Desta forma, terá recursos para opinar quando necessário e, inclusive, poder contribuir aos negócios mesmo sem atuar diretamente.

Existem várias formas de fazer isso e cada empresa definirá a melhor considerando seu modelo de governança. O que precisa ser garantido é um espaço de discussão com a participação de herdeiros, outros sócios e os principais executivos. Mas lembre-se: é preciso respeitar as políticas, as normas e os acordos estabelecidos para a empresa e para a família.

Em resumo, ninguém é obrigado a atuar na empresa da família, mas ser herdeiro não é uma escolha. Por isso, não se deve, de modo algum, desconsiderar seu patrimônio, deixando que outras pessoas decidam questões importantes que em algum momento poderão impactar o seu futuro e no de sua família.

Comentários

Deixe o seu comentário