Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

Ideias preconcebidas sobre empresas familiares

Publicado por:
31 ago

04.21

É muito comum encontrarmos profissionais de mercado com uma visão preconcebida sobre as empresas familiares. Apesar de tudo o que já se conhece sobre a força econômica e social dessas organizações, muitas pessoas ainda resistem na hora da seleção e preferem sonhar apenas com as multinacionais. Porém, é preciso atentar para o fato de que algumas das ditas “características negativas” dessas empresas podem também ser encontradas em outras organizações. Além disso, fazer parte de uma empresa familiar tem suas vantagens.

São diversos os “preconceitos” de alguns profissionais com relação às empresas familiares. Algumas dessas “distorções” passam pela crença equivocada de que nas empresas familiares não há espaço para alguém que não é da família traçar uma trajetória de crescimento; acredita-se que a direção é composta apenas por parentes e que essas empresas tendem a ser menos profissionalizadas.

Bom, é fato que algumas empresas familiares estão em processo de profissionalização e, portanto, ainda podem apresentar algumas dificuldades naturais de empresas que não tem um modelo de governança estruturado. Dessa forma, parte das dificuldades vivenciadas nesse tipo de empresa não são por serem familiares e sim pela falha ou falta do sistema de governança.

Por exemplo, quando o assunto é carreira ou crescimento por mérito, muitas organizações, inclusive as multinacionais, pecam quando seus gestores fazem escolhas em função dos vínculos ou das relações de preferência na equipe; não é incomum vermos casos de promoção sem ser por merecimento.

Além de constatar que distorções podem acontecer em qualquer organização, também é importante atentar para algumas vantagens de fazer parte de uma empresa familiar, na maioria das vezes de menor porte do que as multinacionais, como por exemplo:

• Acesso mais fácil (às vezes direto) à diretoria / alta gestão;
• Mais agilidade nos processos decisórios e menos burocracia;
• Mais agilidade e ações imediatas diante de ameaças;
• Vínculos mais fortes de solidariedade e cooperação que ultrapassam as fronteiras da família;
• Possibilidade de ter seu trabalho reconhecido com repercussão mais imediata na carreira.

Então, antes de decidir rejeitar propostas de emprego vindas de empresas familiares, procure informações mais concretas sobre a organização em questão e busque entender de que forma ela está organizada e qual é o seu grau de profissionalização. Uma boa forma de fazer isso é falando diretamente com pessoas do seu quadro profissional. Tenha sempre o cuidado de pesquisar, ou este preconceito poderá te tirar uma grande oportunidade de crescimento profissional.

Comentários

Deixe o seu comentário