Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

Uma nova dimensão da estabilidade profissional

Publicado por:
30 jul

9.21

Na última Conexão Profissional, apresentamos algumas das características da Geração Y, assim como as oportunidades e os desafios que ela representa para as organizações. Nesta edição, daremos continuidade à série, abordando os resultados do Termômetro ÁgilisRH quanto à visão dos jovens dessa geração a respeito da estabilidade profissional.

Mas o que é ser profissionalmente estável? Aqueles que estão há mais anos no mercado de trabalho provavelmente responderiam, sem pensar muito: é ter um bom emprego e permanecer por um longo período numa mesma empresa. Algum tempo atrás, essa afirmação respondia bem à pergunta. No entanto, hoje em dia ela pode ser questionada sob diversos pontos de vista.

Como já sabemos, a nova geração de profissionais busca crescimento rápido e resultados imediatos, gosta de mudanças e se adapta muito bem a elas, além de ser capaz de realizar várias atividades ao mesmo tempo. É por esses e outros motivos que ela demonstra uma insatisfação constante e uma certa “infidelidade” às organizações. Seus integrantes frequentemente selecionam as oportunidades que lhes dão maiores chances de obter o tão desejado desenvolvimento imediato. Assim, fica evidente que, para esses jovens, estabilidade profissional não se confunde com emprego estável.

O que a pesquisa deixa claro é que a percepção de estabilidade pela Geração Y está relacionada, sobretudo, à solidez de sua carreira. Os resultados mostram que os novos profissionais almejam atingir altos cargos em curto prazo, capacitar-se para aproveitar novas oportunidades, obter maior remuneração, possuir um currículo que cause maior impacto, enfim, ter competência reconhecida no mercado de trabalho.

Ser estável, para os profissionais da Geração Y, significa ter uma formação consistente, uma carreira que agregue valor para o mercado de trabalho e, a partir disso, um retorno financeiro que lhes permita investir em seu desenvolvimento pessoal sem grandes preocupações. A palavra da vez é empregabilidade: para a Geração Y, mais vale ter um histórico que torne o profissional desejado pelas organizações do que construir uma longa carreira dentro de uma mesma empresa.

Comentários

Deixe o seu comentário