Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

A importância do pensamento positivo para o sucesso

Publicado por:
22 set

06.2sol1

As conquistas pessoais e profissionais dependem da forma como o indivíduo lida com sua realidade. Obstáculos e desafios aparecem para todos, mas as pessoas têm mais chances de sucesso quando veem mais oportunidades do que ameaças nas situações da vida.

Neste sentido, ter pensamento positivo e olhar sempre as coisas sob outro ângulo é fundamental. Por exemplo, se aquele projeto que estava esperando se concretizar não saiu do papel, será que não existem outras atividades nas quais você não investiu porque não tinha tempo?

Existem também momentos em que o profissional é exigido a dar um passo além do esperado, correr riscos e realizar uma mudança. Nesses casos, é natural ter medo, mas não se pode deixar paralisar. Uma certa dose de medo ajuda a pensar na estratégia para enfrentar os desafios. Portanto, é fundamental enfrentar seu receio, pensar que o desafio à frente pode ser uma oportunidade de crescimento e preparar-se para enfrentá-lo.

Ser positivo não quer dizer que, subitamente, o profissional deva sair sorrindo sem motivo e esperando que o sucesso bata à porta. É uma mudança de postura que alia autoconfiança e foco. É importante considerar que quem pensa negativamente já está boicotando o próprio sucesso. Lembre-se sempre que pensar positivo é um primeiro passo para mergulhar na nova etapa. Vá com energia e verá os resultados.

Realizar outros projetos é possível

Publicado por:
20 set

01.61

Não é estranho que pessoas bem sucedidas profissionalmente, quando atingem uma fase mais madura, busquem dar uma guinada na carreira e fazer outras atividades que gostam. Muito embora possamos ser realizados na nossa profissão, sempre haverá alguma vontade que precisou ser deixada de lado ao longo da vida.

Toda escolha implica em deixar para trás algum projeto. Portanto, depois de certa estabilidade profissional e financeira, algumas pessoas partem em busca de realizar algo “esquecido” na poeira do tempo. Pode ser praticar uma atividade voluntária, atuar em um campo profissional diferente, cultivar um hobbie como pintar e conseguir expor seu trabalho, deixar o escritório para realizar atividades menos convencionais, tirar um ano sabático e viajar ou, até mesmo, abrir um pequeno negócio.

O importante nesses casos é ter feito uma poupança que garanta a sobrevivência e o novo investimento. Faça as contas de como irá se sustentar e por quanto tempo seus recursos aguentam a mudança. Uma alternativa pode ser diminuir a carga horária na atividade que já realiza para dividir o tempo e não perder tanta receita.

No caso de empresários, preparar o afastamento da empresa deixando profissionais competentes em seu lugar é fundamental, mas sem deixar de acompanhar os resultados. E lembre-se de manter uma porta aberta para retornar ao mercado já conhecido, caso seja necessário. Afinal, sonhar é bom mas não se deve tirar os pés no chão!

As oportunidades também podem ser ameaças

Publicado por:
15 set

02.41

Ao longo da carreira, é comum que algumas pessoas se desviem das suas estratégias iniciais, aceitando as oportunidades que surgem pelo caminho. Entretanto, é importante ficar atento para não tomar um rumo diferente daquele que você desejou para si mesmo.

A nossa vontade muda ao longo do tempo, conforme amadurecemos. Assim sendo, não há nada de errado em querer mudar de profissão ou de empresa, por exemplo, caso apareçam boas oportunidades. Mas é importante ter uma estratégia de carreira e avaliar cada oportunidade como etapas do crescimento, para evitar transformá-las em ameaça.

Antes de aceitar alguma proposta que envolva uma mudança no seu plano de carreira, é importante levantar algumas questões: isso é realmente o caminho que quero? A oportunidade será um passo para crescimento e aprendizagem? Se aceitar esta oportunidade, terei chance de seguir com o que planejei em um futuro próximo?

Outro cuidado que o profissional deve ter é não dar a impressão que sua trajetória foi “construída” por outros. A sua carreira deve ser uma criação somente sua, considerando as opções que se apresentam, seus projetos pessoais e profissionais. As mudanças de rumo podem ser necessárias em algum momento, mas quem constrói a sua estratégia de carreira é você mesmo.

Nada de se deixar encantar com convites que não agregarão crescimento a sua rota, apenas por ganhos momentâneos. E cuidado com as opiniões alheias, os palpites ou os modismos. Afinal, quem não sabe aonde quer chegar, não saberá que caminhos tomar.

Soube que um colega vai ser demitido. Como agir nessa situação?

Publicado por:
13 set

imagem12

Em alguns momentos, nos deparamos com situações difíceis no trabalho e que exigirão separar bem a vida pessoal e profissional. É o caso, por exemplo, de quando temos informações sobre a demissão de um colega antes mesmo dele ter sido comunicado. Isso ainda é mais difícil se o profissional for um amigo pessoal.

Se você teve acesso a essa informação, isso pode se dever a duas situações: ou você ocupa um cargo que lhe traz informações “privilegiadas” ou você ouviu uma conversa que não deveria. Nos dois casos, passar a informação adiante é um erro grave.

No primeiro caso, é errado porque você não pode usar uma prerrogativa do cargo para “proteger” um amigo. Segundo, que um processo de demissão deve ser feito de maneira cuidadosa, e isso exigirá seguir os passos recomendados pelos procedimentos da empresa e do RH.

No segundo caso, muito embora exista uma amizade envolvida, é importante ter cuidado para não dizer a pessoa antes do gestor dela. Cabe a ele fazer o comunicado. Mesmo sendo uma situação angustiante, você pode ajudar a colega auxiliando no processo de desligamento ou procurando suporte para sua recolocação no mercado.

Apoiar na conclusão das suas atividades e ajudar a encaminhar seu currículo para sua rede profissional são alternativa para ajudá-la sem cometer alguma inadequação profissional ou prejudicar sua imagem.

Cuidado com a busca desenfreada pelo sucesso

Publicado por:
08 set

03.4

Nos tempos atuais, é perceptível uma busca desenfreada pelo sucesso, a necessidade de crescer rapidamente na carreira e a frustração que isso vem provocando nos jovens profissionais quando não acontece. Mas é preciso ter cuidado com essa ansiedade, pois ela pode acabar prejudicando a carreira.

Todo profissional e especialmente os mais jovens precisam estar preparados para lidar com frustrações e sonhar com os pés no chão. Fazer planos de crescimento é necessário sim, mas é preciso considerar que o resultado só aparece com muito esforço, dedicação e competência.

Outra busca desenfreada dos profissionais atuais é pela felicidade, com uma tolerância muito baixa às dificuldades do ambiente de trabalho. É necessário entender, entretanto, que todos nós temos momentos de dúvidas e de desânimo, de frustração. E também que felicidade é um conceito que envolve as várias esferas da vida: pessoal, profissional, afetivo, de saúde, etc. Não jogar o “peso” todo no trabalho é fundamental.

Por isso, temos que aprender que a vida em comunidade e no mundo empresarial, principalmente, exige que se saiba lidar com esses momentos de mais dificuldades, sem achar que está no lugar errado ou que outro tipo de trabalho é que vai trazer a felicidade plena. Lembre-se que os sucessos meteóricos são raros e, em alguns casos, pouco consistentes. É preciso ter paciência para construir uma carreira bem-sucedida.

A empresa onde trabalho está se associando a outra. Como agir nesse processo?

Publicado por:
06 set

03.111

É muito comum vermos empresas se associando ou sendo adquiridas por outras. Nesse momento, os profissionais ficam preocupados com seus empregos. Nessas situações, é preciso ter alguns cuidados para preservar a carreira.

Se as empresas em questão têm culturas muito diferentes, será um processo mais traumático, especialmente para o elo mais “fraco”, isto é, quando a sua empresa foi adquirida. Compreender essa mudança é fundamental, por isso, procure conhecer a qual será a nova estrutura, os produtos e serviços que serão estratégicos, os resultados esperados para o negócio.

Fique atento ao que passa a ser marca. Com certezas as áreas de estratégia e marketing irão atuar nessa questão. Você pode contribuir evitando alimentar boatos e comparações com o passado. Espere uma oportunidade para mostrar que está aberto às mudanças.

Conheça suas próprias resistências e procure lidar com elas para não parecer que está trabalhando contra. Cuide dos espaços. Nada de invadir a área do outro, mas também é fundamental compreender como ficará seu cargo.

E se acreditar que há chances de perder o emprego, comece a se mobilizar para outras oportunidades, mas mantenha um posicionamento profissional até o final. Nunca se sabe o que o futuro guarda. Manter portas abertas é estratégico.

Resolvi montar um negócio com meu amigo. Quais cuidados tomar?

Publicado por:
01 set

03.111

Resolvi montar um negócio com um amigo de infância. Mas quais cuidados devo tomar para manter a amizade e prosperar?

A escolha de um amigo para formar uma sociedade pode ser uma vantagem porque provavelmente já existem afinidades construídas. Além disso, é possível que os envolvidos já se conheçam bastante para ver se os estilos combinam. Mas isso não exime da necessidade de tomar algumas precauções.

Em primeiro lugar, é importante ver se os valores e a disposição para o trabalho são convergentes. Muitas vezes, um ponto de conflito é exatamente a diferença de ritmos para desenvolver e se dedicar ao negócio.

Um erro comum nesses casos é “esquecer” de formalizar um acordo societário achando que a amizade será suficiente para resolver divergências inerentes a qualquer relação de trabalho. O correto é ter contrato social e pacto societário claros e formalizados, para preservar o negócio e até mesmo a amizade.

Outro ponto importante é definir os papéis e as responsabilidades de cada um, inclusive aproveitando ao máximo as competências individuais para ter sucesso. Alinhar diretrizes para o negócio também é fundamental. Outra dica é cuidar do papel de cada sócio também na gestão interna, orientando a equipe e organizando sua área de atuação.

Por fim, cuidar do caixa, acompanhar resultados e focar na estratégia precisam ser ações regulares e responsabilidade de ambos os sócios.

Falar dos conflitos é necessário para a saúde no trabalho

Publicado por:
30 ago

03.131

No nosso dia a dia, é comum termos conflitos no ambiente de trabalho, seja por discordarmos do ponto de vista de alguém ou até mesmo por termos pouca afinidade com um colega. Entretanto, acumular incômodos pode ser prejudicial para o desempenho de toda a equipe.

O que pauta as relações no trabalho são as afinidades, os interesses e os estilos dos profissionais. Não precisamos ser amigos de todos, mas manter um clima de respeito e cordialidade é fundamental.

Para tanto, é importante atentar para a necessidade de externar insatisfações. Isso porque aqueles conflitos que não são devidamente tratados podem ficar “guardados” e se transformarem numa bola de neve. Por isso, sempre que for oportuno, explicite o incômodo para não se deixar “sufocar” e terminar perdendo a cabeça e agindo de maneira inadequada.

Se você, por exemplo, tem um colega com comportamentos que o irritam ou com atitudes que você discorda, tente conversar sobre seus incômodos. Trate apenas do necessário, sem ofender a pessoa. Diga como acredita que poderiam lidar com as discordâncias para uma melhor convivência. Use os normativos da empresa e os valores como referências para a construção de acordos. Esteja aberto também a escutar o que colega tem de incômodo em relação a você e procure se reposicionar naquilo que for possível e pertinente. E lembre-se, trate as situações com bom humor.

Você verá que o clima organizacional ficará melhor.

A importância da crítica e autocrítica

Publicado por:
25 ago

9.51 (1)

Muitas vezes, reagimos negativamente diante das críticas dos colegas ou do gestor. Entretanto, é importante refletir sobre elas antes de responder.

O primeiro passo é encarar o posicionamento do outro sobre você não como verdade absoluta, mas como imagem que você pode estar passando. Mesmo se não concordar com a observação, quando alguém lhe criticar em algo, vale a pena ver o que está fazendo para dar essa impressão.

Mas por que nos frustramos tanto quando recebemos uma crítica? É simples. Porque pode mostrar algo que não gostaríamos de admitir em nós mesmos e por evidenciar nossas falhas. Ou até mesmo porque você acredita que todos estão percebendo sua intenção quando na verdade o que se destaca é o impacto da sua atitude nos outros.

Quando receber uma crítica, evite responder de “bate pronto”. Esse comportamento pode indicar que você está se percebendo como “atacado” pelo outro. Avalie antes se está reagindo sem pensar. Se você confiar no colega que está criticando pode ser mais fácil escutar a avaliação. E caso não consiga perceber o comportamento que gerou a crítica, peça evidências.

Por fim, reflita sobre você mesmo, analisando a relevância da crítica para o seu crescimento pessoal e profissional. Será que tem algo que você possa efetivamente aprimorar? Faça essa autoavaliação sem ser condescendente ou rigoroso demais consigo mesmo.

Conflitos entre irmãos nas empresas familiares

Publicado por:
23 ago

7 0estagio trainee1

Grande parte das empresas tem origem familiar e muitas vezes a relação família/ profissional não está bem resolvida. É comum conflitos de origem pessoal interferirem na relação profissional, e quando isso envolve irmãos, o cuidado deve ser redobrado. Mas o que pode causar esses conflitos?

Em qualquer empresa, posturas e formas diferentes de encarar o trabalho, responsabilidades pouco definidas e disputas por espaço e reconhecimento são algumas das fontes de conflito nas equipes. Isso não seria diferente nas empresas familiares, especialmente entre irmãos. Esse aspecto pode ser agravado pela relação familiar que acontece fora da empresa, com situações mal resolvidas, e que podem impactar diretamente no desempenho da organização.

Por isso, é importante ter cuidado no relacionamento profissional x familiar. Trabalhar bem os acordos, as responsabilidades e os conflitos não resolvidos é fundamental. Focar na atuação de cada um dentro da empresa é outra forma de regular os conflitos.

Para irmãos, é importante pensar que a forma de conduzir qualquer situação deve ser a mesma de quem está lidando com um executivo que não é da família. O respeito e a forma de dizer também são importantes. O foco deve ser no que é melhor para a empresa.

E se o pai é o “chefe” da organização, ele precisa ter postura de gestorchefe, considerando as diretrizes para o negócio na hora de acompanhar e cobrar. Nada de dar privilégios aos filhos ou beneficiar um filho especifico. É importante, ainda, ter um fórum específico de suporte aos gestores familiares para tratar pontos relevantes para os sócios, herdeiros e sucessores.