Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

Perdi a cabeça com a minha equipe. O que fazer?

Publicado por:
08 jun

imagem12

O mundo corporativo costuma exigir dos profissionais muito controle emocional. Pressão por prazos, excesso de cobranças, responsabilidades acumuladas, falta de tempo – essas e outras situações, muitas vezes, são suficientes para nos fazer perder o equilíbrio e “extrapolar”. E o que fazer quando isso acontece?

Vamos combinar que essa é uma situação bastante comum e que pode acontecer com qualquer profissional. Mesmo aqueles mais experientes, em algum momento, podem “escorregar” nas armadilhas do grupo e “perder a cabeça”. Mas não há motivo para desespero. É possível sim remediar uma situação de descontrole e retomar o equilíbrio. Veja abaixo algumas dicas de ouro:

1. Reconheça que errou. Este é o primeiro passo para quem ultrapassou o limite e exagerou no tom. Não adianta fingir que nada aconteceu. Esse comportamento não ajudará a resolver;
2. Pedir desculpas. Muitas vezes as situações ganham uma proporção muito maior apenas porque não se fez um movimento de retratação, portanto, não deixe de fazer;
3. Tente não justificar, com certeza o outro também poderia elencar uma série de motivos para sair da linha;
4. Após uma primeira cena de destempero, fique mais atento para não torná-la reincidente. Caso contrário, todas as dicas acima podem não funcionar por falta de credibilidade.

Enfim, paciência e autocontrole são os pontos chave para conseguir manter o equilíbrio e evitar problemas. Saber o que lhe tira do sério também é uma recomendação importante. É comum, principalmente quando se ocupa uma função de liderança, que o grupo provoque situações incômodas, às vezes para testar o chefe, outras sem um propósito definido. De uma forma ou de outra, é válida a premissa de que todo grupo têm o desejo inconsciente de enlouquecer seu coordenador, portanto, fique ligado e não caia nas armadilhas!

Comentários

Deixe o seu comentário