Alt + Shift + C ir para o conteúdo Alt + Shift + M ir para o menu Alt + Shift + B ir para a busca Alt + Shift + F ir para o rodapé

Recursos Humanos e Departamento de Pessoal são coisas diferentes

Publicado por:
29 mai

imagem12

Nos dias de hoje, é cada vez mais comum se ver a separação entre as áreas de Recursos Humanos – RH e de Departamento de Pessoal – DP, ainda que alguns considerem suas funções muito semelhantes. Na verdade, a relação entre o RH e o DP são bem próximas, pois, de forma geral, ambas cuidam das questões relacionadas às pessoas que, de algum modo, fazem parte da organização. No entanto, a natureza das ações é diferente. Vale a pena entender que diferenças são essas.

A área de RH trata das questões mais subjetivas ligadas à gestão de pessoas para que os objetivos estratégicos da empresa sejam alcançados. Em outras palavras, é a área responsável pelo assessoramento às lideranças no desenvolvimento de equipes de trabalho estáveis, motivadas, competentes e focadas na produção dos resultados. Nessa direção, responde pelos processos de recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, avaliação de desempenho, política de cargos e salários, gestão do clima organizacional, dentre outras.

Já o DP trabalha mais com a parte burocrática e relacionada ao cumprimento das leis trabalhistas, desde os processos de admissão e demissão de empregados, folha de pagamento, registro de ponto, envio de informações legais, etc. Por conta da natureza das atividades, nessa área, priorizam-se os profissionais com uma lógica de raciocínio mais cartesiana, com habilidades para interpretação de leis e para cálculos matemáticos. Para o RH, no entanto, buscam-se pessoas com capacidade mais interpretativa, pois terão mais facilidade para entender a complexidade da realidade, com suas ambivalências e contradições.

Então, é exatamente por causa dessa diferença de perfis que, cada vez mais, as áreas de RH e DP estão sendo lideradas por profissionais diferentes. Quando isso não acontece, corre-se o risco de uma das áreas ter o desempenho prejudicado. Por exemplo, é natural que um gestor com perfil mais cartesiano tenha mais facilidade com as atividades do DP e que, diante da correria do dia a dia, deixe em segundo plano às questões de RH, com as quais não tem tanta afinidade e lhe exigirão mais. Ou pior ainda, que transforme a área num RH burocrático, dissociado de uma atuação estratégica.

É claro que não existe uma “receita de bolo” e cada empresa deve levar em consideração suas peculiaridades antes de definir a formatação dos seus setores de DP e RH. E se a opção for pela separação, é importante reforçar que são áreas interligadas que deverão atuar de forma alinhada.

Comentários

Deixe o seu comentário